Governança Corporativa | 5 Aspectos-Chave de Governança Para Empresas Que Desejam Captar Crédito e Equity

Como condição para acessarem crédito ou aporte de equity no Brasil e exterior, as empresas precisam implantar sólida estrutura de governança corporativa.

Governança é o conjunto de controles de gestão que visa dar confiança e transparência nas informações da empresa, independente de porte, sendo crucial em captações. 

Visa disponibilizar a financiadores/investidores condições de entender e precificar o risco do negócio e, com isso, aumentar a oferta de crédito/atratividade e diminuição de spread de juros. 

Veja abaixo 5 itens essenciais de governança corporativa que serão exigidos de empresas em processo de fundraising: 

1. Auditoria de Demonstrações Financeiras: empresas interessadas em captar volumes maiores junto a bancos, fundos e investidores, nacionais e estrangeiros, precisam ter suas demonstrações financeiras auditadas por firma de auditoria independente. Este é ponto de partida; 

2. Estrutura de Gestão: a estrutura de gestão da empresa precisa estar bem delimitada, com competências, poderes e alçadas claras. A ideia do “dono”, com poderes ilimitados, que pode mudar o norte do negócio a seu bel prazer, certamente limitará os financiadores/investidores interessados em correr este risco. Estrutura de governança com poderes e alçadas para Diretoria, Conselho de Administração (se houver) e Assembleia de Acionistas/Reunião de Sócios, é fundamental; 

3. Profissionalização da Equipe: financiadores/investidores prestam muito atenção à capacidade/sofisticação da gestão da empresa, sob o ponto de vista financeiro, comercial, operacional, compliance, etc. São inúmeros os casos de captações onde os gestores destinaram os recursos de forma equivocada. Por isso, dar atenção e conforto quanto à profissionalização dos gestores é aspecto importante; 

4. Documentos Corporativos: investidores estão, mais e mais, observando se as empresas em processo de captação possuem e efetivamente observam códigos e políticas claras de “boas práticas”, incluindo (i) Código de Ética e Compliance, (ii) Política de Gerenciamento de Riscos, (iii) Política de Remuneração, (iv) Política de Transações com Partes Relacionadas, (v) Regimento Interno do Conselho de Administração, Conselho Fiscal e Diretoria, (vi) Política de Sustentabilidade, entre outras; 

5. Sucessão e Relação entre Acionistas/Cotistas: ponto geralmente descuidado especialmente por empresas familiares, é a parte de sucessão e relação entre sócios. Ter processo de sucessão estruturado e a relação entre os controladores do negócio bem definida, por meio de Acordos, dá maior estabilidade de médio/longo prazos e resulta em redução da percepção de risco para financiadores/investidores. 

Com o aumento da liquidez nos mercados financeiro e de capitais, os pontos de governança acima serão fundamentais para as organizações que desejam ter sucesso em suas captações.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on linkedin

Assine nossa Newsletter:

* Campos obrigatórios